ROSEMBERG PARTICIPA DE LANÇAMENTO DA PEDRA FUNDAMENTAL DA PRIMEIRA FÁBRICA DE HIDROGÊNIO VERDE DO BRASIL - Falando com Autoridade
atualizado.gif

26 julho 2022

ROSEMBERG PARTICIPA DE LANÇAMENTO DA PEDRA FUNDAMENTAL DA PRIMEIRA FÁBRICA DE HIDROGÊNIO VERDE DO BRASIL

Combustível tem potencial de geração energética três vezes maior que a gasolina e pode ser utilizado na indústria e no transporte


O deputado estadual e líder do governo na Assembleia Legislativa da Bahia, Rosemberg Pinto (PT), participou nesta terça-feira (26), no Polo Petroquímico de Camaçari, do lançamento da pedra fundamental da primeira fábrica de hidrogênio verde, ao lado do fundador da petroquímica Unigel, Henri Armand Slezynger e do governador Rui Costa.


Com investimento inicial de US$ 120 milhões, a unidade produzirá combustível por meio da eletrólise, a partir de indução das energias renováveis eólica e solar, o estado da Bahia é o maior produtor do Brasil destas energias. A perspectiva é de que o empreendimento entre em operação até o final de 2023 com previsão de gerar 500 empregos.


Ex-funcionário por 30 anos da antiga Fafen, Rosemberg lembrou da batalha para não deixar a fábrica fechar – o que acabou acontecendo em 2018 – e, posteriormente, a luta para que o empreendimento voltasse a funcionar. “Lamentavelmente, a Petrobras, na época, não enxergava essas unidades (Bahia e Sergipe) de fertilizantes como algo estratégico para a companhia tão grande e tão importante para o nosso país. E acabou que tomou-se uma decisão de fechar as duas unidades, então nós montamos um grupo de trabalho para manter esse empreendimento e buscar alternativa para que ele voltasse a funcionar”, disse o deputado.


A obstinação do parlamentar petista deu certo. Com o objetivo de fortalecer a produção nacional de Fertilizantes, em 2021, o grupo brasileiro Unigel investiu R$ 600 milhões e arrendou a Fafen junto à Petrobras.


Presente também no evento, o governador Rui Costa se queixou da falta de apoio do governo federal para que o estado produza energia limpa em maior quantidade: “Se não comemoramos ainda muitas obras em construção, deve-se ao baixo planejamento, inexistência, e execução desse planejamento de linhas de transmissão. Hoje a Bahia produz mais energia do que é capaz de escoar. Os produtores de energia eólica relataram que estão perdendo 15% da energia produzida. Esse é o grande gargalo para a Bahia continuar crescendo”.


Ao longo dos últimos anos, Rosemberg participou de diversos atos protestando contra o fechamento da Fafen e – posteriormente – clamando pela sua reabertura, inclusive, o parlamentar chegou a promover audiência pública para discutir e buscar solução para o problema.


26.07.2022


Assessoria de Comunicação deputado estadual Rosemberg Pinto (PT-BA)


(71) 9 8876-9982 / (71) 3115-5376

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário: