Pastores de Itapetinga orientam fiéis a não vacinar contra Covid e colocam em risco a imunização na cidade - Falando com Autoridade
atualizado.gif

20 junho 2021

Pastores de Itapetinga orientam fiéis a não vacinar contra Covid e colocam em risco a imunização na cidade


 

Sob a bênção da ignorância de alguns pastores evangélicos de Itapetinga, a imunização da população está em xeque na medida em que alguns conselheiros espirituais em sua maioria de seguimento pentecostal pregam narrativa bíblica do livro do Apocalipse que afirma que, no final dos tempos, a “besta” (o demônio) terá uma marca nas pessoas que alguns desses pastores difundem como sendo uma referência à vacina contra a Covid-19.

Embora a vacina seja reconhecida pela ciência como a principal arma para conter a Covid-19, há alguns itapetinguenses evangélicos resistem à imunização. E os seguimentos notáveis nesse sentido tem sido o de evangélicos pentecostais, que são movidos tanto por motivações religiosa quanto política.

uma Mãe de 53 anos, preocupada com a filha de 25 anos, que decidiu converter ao segmento evangélico há mais de 1 ano. Com Itapetinga vacinando pessoas acima dos 50 anos contra a covid. A Mãe da jovem evangélica decidiu dirigir a um posto de saúde para se imunizar contra a doença letal. Ansiosa para chegar em casa e contar a novidade para filha, a Mãe foi surpreendida com os berros da filha, que ela [a Mãe], iria para inferno e já estaria com a marca da besta [demônio]. Com calma, a Mãe tentou esclarecer a filha sobre o perigo da Covid-19, e que a doença não estaria mantado apenas pessoas idosas, mas, também jovens e que ela [a filha] teria que se vacinar quando chegar a hora dela [a jovem]. A Mãe recebeu um sonoro ‘não’, e perguntou quem teria a orientado sobre isso, a filha foi enfática, e afirmou que foi o pastor de sua igreja. Revoltada a Mãe da jovem procurou o pastor e ambos bateram boca. 

A Mãe, agora, terá a dura missão de convencer sua filha mais velha a se vacinar para não levar o vírus para sua casa e colocar seus irmãos em risco, por não existe, ainda, uma vacina com 100% de eficácia contra a covid-19. 

Na pregação desses pastores, foram observados uma certa adesão a discursos negacionistas, que minimizam a pandemia e os seus riscos. À pastores que citam Jair Bolsonaro e chegam aclamar o presidente como libertador do povo cristão evangélico no Brasil.

Casa vez mais lideres religiosos se alinham a política negacionista do Presidente da Republica Jair Bolsonaro.
Casa vez mais lideres religiosos se alinham a política negacionista do Presidente da Republica Jair Bolsonaro.


Aproximação de alguns religiosos com a política negacionista coloca em risco o árduo trabalho de imunização em Itapetinga. Enquanto boa parte das igrejas evangélicas estimulam seus fieis a vacinarem para um retorno rápido da normalidade e a plena volta dos cultos presenciais, outras distorcem o ensinamento bíblico para manter suas convicções através de seu pastores, mesmo que isso possa custar vidas humanas.

Em dezembro do ano passado, o Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que o Estado pode determinar aos cidadãos que se submetam, compulsoriamente, à vacinação contra a Covid-19, prevista na Lei 13.979/2020.

A decisão dos ministros da Corte prevaleceu o entendimento a favor da aplicação de medidas restritivas contra quem se recusa a se vacinar. No voto da ministra Carmén Lúcia as palavras duras para aqueles que acham que tem o direito de contaminar outras pessoas: “Temos medo de contaminar alguém por uma falta nossa. Quem tem dignidade, respeita a dignidade do outro também, pois a liberdade não é absoluta e não pode ser contra tudo e contra todos. Egoísmo não se compadece com a democracia."



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário: